NOTÍCIAS

5 depoimentos de pessoas que conviveram com Amy Winehouse

por em 27/06/2015

Faz quase quatro anos que Amy Winehouse faleceu, no dia 23 de julho de 2011. Seus fãs poderão conhecer detalhes da sua vida pessoal e das suas lutas em breve, com o documentário Amy, que será lançado nos Estados Unidos no dia 3 de julho.

A edição da Billboard de julho, que chegou às bancas norte-americanas ontem (26/06), revela novas perspectivas, contém entrevistas exclusivas e muitos detalhes fornecidos pelas pessoas que melhor conheciam a cantora. O autor, Dorian Lynskey, conversou com inúmeras pessoas da indústria musical que acompanharam a vida da cantora com os tabloides, os dramas nos seus relacionamentos e o vício de drogas e álcool. Mas, entre todos esses obstáculos, as pessoas próximas a Amy Winehouse lembram da britânica que lutava com demônios que não podia controlar, como uma artista que deve ser lembrada pela sua música.

Aqui estão cinco depoimentos de confidentes de colegas e amigos que testemunharam a grandeza da sua música de perto:

1. Mark Ronson nunca trabalhou com alguém como ela (e ele já trabalhou com muitas pessoas) –?Mark Ronson, que co-produziu Back To Black e a viu compor "Rehab" em algumas horas, tem muitos elogios à cantora. "Nós temos esse estereótipo de um Mozart jovem", diz. "Um raio bate na sua cabeça e ele começa a – furiosamente – rabiscar por duas horas e tem um concerto. Ela era a única pessoa que eu vi que era exatamente assim".

2. O pequeno círculo de amizade de Amy viu a mudança da cantora quando ela conheceu Blake Fielder-Civil?– "Tudo começou a ir ladeira abaixo", disse seu co-empresário Nick Shymansky, sobre quando Amy conheceu o futuro marido. "Em 2005 ela começou a gaguejar. Era terrível o que estava acontecendo com ela". Um dos executivos se refere a Civil como "o palhaço com quem ela se casou". Mas no filme, ao lado do produdor James Gay-Rees, ele pegou mais leve: "Blake não é nenhum anjo, mas ele não é o Satã também", disse.

 

3. Lucian Grainge tentou ajudar Amy com “Tough Love”? – Um dia, em seu escritório, Lucian Grainge, o CEO da Universal Music, mostrou a Amy Winehouse uma pilha de fotos de revistas e jornais de fofoca, que retratavam a cantora nos seus piores momentos: ensanguentada e mal conseguindo caminhar pela rua. "Ela sentou na minha mesa com uma minissaia curta e pegou um – enorme – violão. Ela tocou músicas para mim que eram – claramente – sobre relacionamentos, e eu lembro de ver lágrimas e rímel escorrendo pelo seu rosto".

4. Amy Winehouse tinha planos para um terceiro álbum, incluindo tempo de estúdio agendado com Ronson – ?"Ela provavelmente terminou o processo de composição algumas semanas antes de falecer", disse o produtor Salaam Remi. "Pelo que eu vi, tínhamos 14 músicas".

 

5. Pouco antes de morrer, Amy teve uma realização pessoal – O ex-líder da banda Dale Davis lembra de falar com a cantora pelo Skype horas antes da sua morte: "Ela disse, 'eu tenho assistido alguns vídeos meus no YouTube e eu consigo cantar'", conta. "E eu disse, 'É claro que você pode cantar!' Houve dúvidas, e para ela perceber isso foi uma das coisas mais legais que ela poderia dizer".

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
De Quem É A Culpa?
Marília Mendonça
2
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
3
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
4
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
5
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

5 depoimentos de pessoas que conviveram com Amy Winehouse

por em 27/06/2015

Faz quase quatro anos que Amy Winehouse faleceu, no dia 23 de julho de 2011. Seus fãs poderão conhecer detalhes da sua vida pessoal e das suas lutas em breve, com o documentário Amy, que será lançado nos Estados Unidos no dia 3 de julho.

A edição da Billboard de julho, que chegou às bancas norte-americanas ontem (26/06), revela novas perspectivas, contém entrevistas exclusivas e muitos detalhes fornecidos pelas pessoas que melhor conheciam a cantora. O autor, Dorian Lynskey, conversou com inúmeras pessoas da indústria musical que acompanharam a vida da cantora com os tabloides, os dramas nos seus relacionamentos e o vício de drogas e álcool. Mas, entre todos esses obstáculos, as pessoas próximas a Amy Winehouse lembram da britânica que lutava com demônios que não podia controlar, como uma artista que deve ser lembrada pela sua música.

Aqui estão cinco depoimentos de confidentes de colegas e amigos que testemunharam a grandeza da sua música de perto:

1. Mark Ronson nunca trabalhou com alguém como ela (e ele já trabalhou com muitas pessoas) –?Mark Ronson, que co-produziu Back To Black e a viu compor "Rehab" em algumas horas, tem muitos elogios à cantora. "Nós temos esse estereótipo de um Mozart jovem", diz. "Um raio bate na sua cabeça e ele começa a – furiosamente – rabiscar por duas horas e tem um concerto. Ela era a única pessoa que eu vi que era exatamente assim".

2. O pequeno círculo de amizade de Amy viu a mudança da cantora quando ela conheceu Blake Fielder-Civil?– "Tudo começou a ir ladeira abaixo", disse seu co-empresário Nick Shymansky, sobre quando Amy conheceu o futuro marido. "Em 2005 ela começou a gaguejar. Era terrível o que estava acontecendo com ela". Um dos executivos se refere a Civil como "o palhaço com quem ela se casou". Mas no filme, ao lado do produdor James Gay-Rees, ele pegou mais leve: "Blake não é nenhum anjo, mas ele não é o Satã também", disse.

 

3. Lucian Grainge tentou ajudar Amy com “Tough Love”? – Um dia, em seu escritório, Lucian Grainge, o CEO da Universal Music, mostrou a Amy Winehouse uma pilha de fotos de revistas e jornais de fofoca, que retratavam a cantora nos seus piores momentos: ensanguentada e mal conseguindo caminhar pela rua. "Ela sentou na minha mesa com uma minissaia curta e pegou um – enorme – violão. Ela tocou músicas para mim que eram – claramente – sobre relacionamentos, e eu lembro de ver lágrimas e rímel escorrendo pelo seu rosto".

4. Amy Winehouse tinha planos para um terceiro álbum, incluindo tempo de estúdio agendado com Ronson – ?"Ela provavelmente terminou o processo de composição algumas semanas antes de falecer", disse o produtor Salaam Remi. "Pelo que eu vi, tínhamos 14 músicas".

 

5. Pouco antes de morrer, Amy teve uma realização pessoal – O ex-líder da banda Dale Davis lembra de falar com a cantora pelo Skype horas antes da sua morte: "Ela disse, 'eu tenho assistido alguns vídeos meus no YouTube e eu consigo cantar'", conta. "E eu disse, 'É claro que você pode cantar!' Houve dúvidas, e para ela perceber isso foi uma das coisas mais legais que ela poderia dizer".