NOTÍCIAS

Artistas da música que já concorreram a cargos públicos

Lista tem nomes nacionais e internacionais

por Marcos Lauro em 30/09/2016

As eleições municipais estão próximas e sempre vimos um ou outro nome da música na relação de candidatos. Alguns já conseguiram se eleger, outros não passaram da tentativa. Veja alguns deles, no Brasil e nos Estados Unidos.

Agnaldo Timóteo – O cantor mineiro tem longo histórico na política. Foi eleito deputado federal no Rio de Janeiro em 1982 e 1994 – nesse meio tempo, tentou a eleição para governador do estado em 1986, mas perdeu. Transferido para São Paulo, foi eleito vereador em 1996 e 2004. Curiosidade: já anunciou a sua saída da política duas vezes, quando foi derrotado na eleição para vereador em 2012 e para deputado federal em 2014 – as duas pelo Rio de Janeiro. O cantor, no entanto, não cumpriu a promessa e concorre ao cargo de vereador pelo Rio de Janeiro em 2016.

Reprodução

KLB – Duas letras do trio KLB já entraram para a política – mas um não deu muito certo. Kiko tentou uma vaga de vereador por São Paulo em 2012, mas não obteve nenhum voto! Na verdade, ele teve pouco mais de sete mil votos, mas como estava em débito com a justiça eleitoral teve seus votos zerados. Já Leandro foi eleito deputado estadual suplente e assumiu sua vaga em 2013.

Divulgação

Leci Brandão – A sambista tem história na política e já foi cotada até para a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, um órgão do Poder Executivo Federal, em 2008. Atualmente é deputada estadual em São Paulo, eleita em 2010 e reeleita em 2014.

Divulgação

Tiririca – O humorista surgiu como mais um nome famoso que estaria usando a candidatura como trampolim – ou para bagunçar ainda mais o cenário político, na visão de algumas pessoas. Com o slogan “Pior do que tá não fica, vote Tiririca”, seu horário político tinha roteiro e direção de programa de humor – e, de fato, alguns profissionais de humorísticos como A Praça É Nossa estavam ali para montar a imagem do palhaço-político. Com isso, ele foi alvo do chamado “voto de protesto” e acabou como o candidato mais votado de 2010, com pouco mais de 1,3 milhão de votos. Diferente do previsto, seu mandato não foi um desastre. Revelado como o parlamentar mais presente nas sessões e com projetos de lei votados na Câmara, Tiririca foi reeleito em 2014, com mais de um milhão de votos.

Reprodução

Netinho de Paula – A primeira eleição do sambista foi em 2008, como vereador em São Paulo. Foi reeleito em 2012. Nesse meio tempo (em 2010), tentou o cargo de senador, mas perdeu votos pela polêmica gerada por um caso de agressão. Em 2011, chegou a ser pré-candidato à prefeitura de São Paulo, mas desistiu e acabou nomeado secretário de Promoção da Igualdade Racial do município. Em 2015 teve seu mandato de vereador cassado por ter trocado de partido político e agora tenta nova eleição.

Divulgação

Jello Biafra – Fundador da banda Dead Kennedy’s, o cantor, diferente da filosofia anarquista do punk, se interessava por política ao ponto de se candidatar à prefeitura de São Francisco em 1979. Com propostas sérias (e outras nem tanto, como uma lei que obrigaria empresários a usar roupa de palhaço), ficou em quarto lugar. Já em 2000, o Partido Verde de Nova York o escolheu como pré-candidato para presidência dos Estados Unidos. O cantor recebeu apenas dez votos dos delegados do partido e a candidatura não foi adiante.

Divulgação

Frank Aguiar – Foi eleito deputado federal por São Paulo em 2006. Depois de perder a reeleição, foi vice-prefeito em São Bernardo do Campo e chegou a ser pré-candidato à prefeitura de Teresina, no Piauí, sua terra natal.

Reprodução

Sérgio Reis – O sertanejo tentou começar sua vida política em 2010, como deputado federal, mas desistiu da disputa. Quatro anos depois, foi eleito deputado federal, mas por São Paulo.

Reprodução

José Rico – O sertanejo se candidatou a deputado federal por Goiás em 2014, mas não conseguiu nem 30 mil votos e não foi eleito.

Reprodução

Gretchen – A Donna Summer brasileira foi candidata à prefeitura de Itamaracá, Pernambuco, em 2010. A história é tão boa que rendeu o documentário Gretchen Filme Estrada, que conta a história da cantora por meio de imagens da campanha. Gretchen não foi eleita.

Divulgação

Sula Miranda – Irmã de Gretchen e “Rainha dos Caminhoneiros”, Sula se candidatou à deputada federal em 2014. Com pouco mais de três mil votos, não se elegeu.

Reprodução

Serguei – O roqueiro tentou, em 1994, uma vaga para vereador em Saquarema, município do Rio de Janeiro. Acabou com 246 votos. Tentou de novo em 1998. Resultado: nove votos. Não deu pro Serguei.

Divulgação

Alice Cooper – O roqueiro é, atualmente, candidato à presidência dos Estados Unidos. De mentirinha, é claro! Com o slogan “Um homem problemático para tempos problemáticos”, ele tem propostas como esculpir o rosto de Lemmy Kilmister no Monte Rushmore. E não é a primeira vez que Cooper apronta uma dessa: em 1972, o cantor lançou o single “Elected” para disputar a vaga na Casa Branca.

Divulgação

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
2
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
3
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
4
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Artistas da música que já concorreram a cargos públicos

Lista tem nomes nacionais e internacionais

por Marcos Lauro em 30/09/2016

As eleições municipais estão próximas e sempre vimos um ou outro nome da música na relação de candidatos. Alguns já conseguiram se eleger, outros não passaram da tentativa. Veja alguns deles, no Brasil e nos Estados Unidos.

Agnaldo Timóteo – O cantor mineiro tem longo histórico na política. Foi eleito deputado federal no Rio de Janeiro em 1982 e 1994 – nesse meio tempo, tentou a eleição para governador do estado em 1986, mas perdeu. Transferido para São Paulo, foi eleito vereador em 1996 e 2004. Curiosidade: já anunciou a sua saída da política duas vezes, quando foi derrotado na eleição para vereador em 2012 e para deputado federal em 2014 – as duas pelo Rio de Janeiro. O cantor, no entanto, não cumpriu a promessa e concorre ao cargo de vereador pelo Rio de Janeiro em 2016.

Reprodução

KLB – Duas letras do trio KLB já entraram para a política – mas um não deu muito certo. Kiko tentou uma vaga de vereador por São Paulo em 2012, mas não obteve nenhum voto! Na verdade, ele teve pouco mais de sete mil votos, mas como estava em débito com a justiça eleitoral teve seus votos zerados. Já Leandro foi eleito deputado estadual suplente e assumiu sua vaga em 2013.

Divulgação

Leci Brandão – A sambista tem história na política e já foi cotada até para a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, um órgão do Poder Executivo Federal, em 2008. Atualmente é deputada estadual em São Paulo, eleita em 2010 e reeleita em 2014.

Divulgação

Tiririca – O humorista surgiu como mais um nome famoso que estaria usando a candidatura como trampolim – ou para bagunçar ainda mais o cenário político, na visão de algumas pessoas. Com o slogan “Pior do que tá não fica, vote Tiririca”, seu horário político tinha roteiro e direção de programa de humor – e, de fato, alguns profissionais de humorísticos como A Praça É Nossa estavam ali para montar a imagem do palhaço-político. Com isso, ele foi alvo do chamado “voto de protesto” e acabou como o candidato mais votado de 2010, com pouco mais de 1,3 milhão de votos. Diferente do previsto, seu mandato não foi um desastre. Revelado como o parlamentar mais presente nas sessões e com projetos de lei votados na Câmara, Tiririca foi reeleito em 2014, com mais de um milhão de votos.

Reprodução

Netinho de Paula – A primeira eleição do sambista foi em 2008, como vereador em São Paulo. Foi reeleito em 2012. Nesse meio tempo (em 2010), tentou o cargo de senador, mas perdeu votos pela polêmica gerada por um caso de agressão. Em 2011, chegou a ser pré-candidato à prefeitura de São Paulo, mas desistiu e acabou nomeado secretário de Promoção da Igualdade Racial do município. Em 2015 teve seu mandato de vereador cassado por ter trocado de partido político e agora tenta nova eleição.

Divulgação

Jello Biafra – Fundador da banda Dead Kennedy’s, o cantor, diferente da filosofia anarquista do punk, se interessava por política ao ponto de se candidatar à prefeitura de São Francisco em 1979. Com propostas sérias (e outras nem tanto, como uma lei que obrigaria empresários a usar roupa de palhaço), ficou em quarto lugar. Já em 2000, o Partido Verde de Nova York o escolheu como pré-candidato para presidência dos Estados Unidos. O cantor recebeu apenas dez votos dos delegados do partido e a candidatura não foi adiante.

Divulgação

Frank Aguiar – Foi eleito deputado federal por São Paulo em 2006. Depois de perder a reeleição, foi vice-prefeito em São Bernardo do Campo e chegou a ser pré-candidato à prefeitura de Teresina, no Piauí, sua terra natal.

Reprodução

Sérgio Reis – O sertanejo tentou começar sua vida política em 2010, como deputado federal, mas desistiu da disputa. Quatro anos depois, foi eleito deputado federal, mas por São Paulo.

Reprodução

José Rico – O sertanejo se candidatou a deputado federal por Goiás em 2014, mas não conseguiu nem 30 mil votos e não foi eleito.

Reprodução

Gretchen – A Donna Summer brasileira foi candidata à prefeitura de Itamaracá, Pernambuco, em 2010. A história é tão boa que rendeu o documentário Gretchen Filme Estrada, que conta a história da cantora por meio de imagens da campanha. Gretchen não foi eleita.

Divulgação

Sula Miranda – Irmã de Gretchen e “Rainha dos Caminhoneiros”, Sula se candidatou à deputada federal em 2014. Com pouco mais de três mil votos, não se elegeu.

Reprodução

Serguei – O roqueiro tentou, em 1994, uma vaga para vereador em Saquarema, município do Rio de Janeiro. Acabou com 246 votos. Tentou de novo em 1998. Resultado: nove votos. Não deu pro Serguei.

Divulgação

Alice Cooper – O roqueiro é, atualmente, candidato à presidência dos Estados Unidos. De mentirinha, é claro! Com o slogan “Um homem problemático para tempos problemáticos”, ele tem propostas como esculpir o rosto de Lemmy Kilmister no Monte Rushmore. E não é a primeira vez que Cooper apronta uma dessa: em 1972, o cantor lançou o single “Elected” para disputar a vaga na Casa Branca.

Divulgação