NOTÍCIAS

Conheça os dez maiores sucessos de George Harrison nas paradas da Billboard

por em 25/02/2013
Imagem: Divulgação

George Harrison completaria 70 anos nesta segunda-feira (25), se não fosse o triste desfecho de um câncer no pulmão, em 2001.  Na verdade, o mais discreto dos Beatles nasceu às 23h50, do dia 24, mas só foi registrado no dia 25. Além de sua timidez característica, Harrison ficou conhecido por suas contribuições emblemáticas aos Fab Four, com clássicos como “Something” e “Here Comes The Sun”.

Pensando nisso, a Billboard – baseada nos rankings do Hot 100 - listou os dez maiores sucessos de Harrison, desde os tempos dos Beatles até sua próspera carreira solo entre os anos 70 e 80, para celebrar a vida do lendário guitarrista. Confira:

“You” – (1975)

A faixa foi o carro-chefe do disco Extra Texture, quinto álbum solo de Harrison, mais conhecido por seus extensos solos de saxofone do que pela assinatura do ex-Beatle nas guitarras. Originalmente gravada por Ronnie Spector, dos Ronettes – que nunca chegou a lançá-la –, a canção foi reaproveitada pelo autor, George Harrison, e alcançou o 20º lugar no Hot 100.  

“Blow Away” – (1979)

A faixa nasceu em meio à felicidade conjugal de Harrison, já casado com Olivia, e ao nascimento de seu único filho, Dhani. O guitarrista manteve o clima doce e simples da faixa no disco auto-intitulado, lançado em 1979. O single de estreia do projeto, “Blow Away”, foi lançado no Dia dos Namorados e chegou à 16º posição no Hot 100.

“Dark Horse” – (1975)

Apenas alguns anos após a dissolução do quarteto de Liverpool, Harrison deixou de ser “o Beatle tímido” para se transformar no“Dark Horse”, música que dá nome ao álbum lançado em 1974. Fruto do fim do casamento com a atriz Pattie Boyd, o disco foi notável por servir de prelúdio à única turnê solo que o guitarrista fez pela América do Norte. A canção chegou ao 15º lugar na parada da Billboard.

“What Is Life” – (1971)

No hit, escrito por Billy Preston, o ex-Beatle continua a desenrolar sobre a vida sem o amor. A faixa faz parte do disco triplo All Things Must Pass, o primeiro após a separação dos Fab Four.  O álbum é considerado um dos melhores da carreira solo do guitarrista, que conta ainda com o sucesso “My Sweet Lord”, que dominou as paradas por semanas. Já a canção, além de conquistar o décimo lugar no Hot 100, conta com a participação sempre especial de Eric Clapton.

“All Those Years Ago” – (1981)

Em 1981 o mundo ainda vivia o choque e a tristeza pelo assassinato brutal de John Lennon, um ano antes. A música não só levou o guitarrista de volta às paradas, conquistando a segunda posição no Hot 100, como reuniu Paul McCartney e Ringo Starr para a sua gravação, uma das várias homenagens prestadas a Lennon.

“For You Blue” – (1971)

Um dos muitos hits de Let It Be, álbum lançado pelos Beatles em 1970, a faixa fez história ao emplacar dois lados de um mesmo single no topo da parada.  A composição de Harrison servia como lado-B de “The Long And Winding Road”, clássico assinado por Paul McCartney.

“Give Me Love (Give Me Peace On Earth)” – (1973)

Em 1973, os antigos integrantes dos Beatles começavam a se firmar em suas carreiras solo enquanto Paul McCartney seguia com seu novo grupo, o Wings. Naquele verão, Harrison conseguiu bater um dos grandes sucessos da banda capitaneada por McCartney- a balada “My Love”- e conquistou o primeiro topo do álbum Live In The Material World (1973), com “Give Me Love (Give Me Peace On Earth)”.

“Something” – (1969)

Enquanto Lennon e McCartney dividiam a autoria da maioria dos sucessos dos Beatles, George despontou por conta própria com a romântica “Something”. Seus companheiros de banda chegaram a dizer que a música é, ao lado de “While My Guitar Gently Weeps”, um dos melhores momentos musicais da carreira do guitarrista. E os fãs concordaram: “Something” - originalmente escrita durante as sessões do Álbum Branco, mas lançada em Abbey Road-  foi o único topo que Harrison conquistou enquanto estava nos Beatles, além de ter catapultado a faixa “Come Together”, com a qual dividia um dos lados do single.

“Got My Mind Set On You”- (1988)

Com o sucesso dos álbuns All Things Must Pass, Living In The Material World e Dark Horse, Harrison tinha, finalmente, uma carreira solo estabelecida após a febre dos Beatles. Porém, foi “Got My Mind Set On You” que garantiu seu segundo maior sucesso nos Estados Unidos e se responsabilizou por seu retorno triunfal nos anos 80. Além disso, a faixa alavancou a performance do álbum Cloud Nine e serviu como catalisadora da formação do Traveling Wilburys, espécie de supergrupo formado por Jeff Lynne, Roy Orbison, Bob Dylan, Tom Petty e George Harrison.

“My Sweet Lord / Isn't It A Pity”- (1970)

Apesar de um polêmico processo acusando Harrison de plágio, “My Sweet Lord” foi a música do guitarrista que ficou por mais tempo no topo das paradas americanas: quatro semanas. A faixa, originalmente escrita para o amigo Billy Preston, foi lançada nos Estados Unidos como carro-chefe do lendário álbum triplo All Things Must Pass.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
2
Regime Fechado
Simone & Simaria
3
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
4
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Conheça os dez maiores sucessos de George Harrison nas paradas da Billboard

por em 25/02/2013
Imagem: Divulgação

George Harrison completaria 70 anos nesta segunda-feira (25), se não fosse o triste desfecho de um câncer no pulmão, em 2001.  Na verdade, o mais discreto dos Beatles nasceu às 23h50, do dia 24, mas só foi registrado no dia 25. Além de sua timidez característica, Harrison ficou conhecido por suas contribuições emblemáticas aos Fab Four, com clássicos como “Something” e “Here Comes The Sun”.

Pensando nisso, a Billboard – baseada nos rankings do Hot 100 - listou os dez maiores sucessos de Harrison, desde os tempos dos Beatles até sua próspera carreira solo entre os anos 70 e 80, para celebrar a vida do lendário guitarrista. Confira:

“You” – (1975)

A faixa foi o carro-chefe do disco Extra Texture, quinto álbum solo de Harrison, mais conhecido por seus extensos solos de saxofone do que pela assinatura do ex-Beatle nas guitarras. Originalmente gravada por Ronnie Spector, dos Ronettes – que nunca chegou a lançá-la –, a canção foi reaproveitada pelo autor, George Harrison, e alcançou o 20º lugar no Hot 100.  

“Blow Away” – (1979)

A faixa nasceu em meio à felicidade conjugal de Harrison, já casado com Olivia, e ao nascimento de seu único filho, Dhani. O guitarrista manteve o clima doce e simples da faixa no disco auto-intitulado, lançado em 1979. O single de estreia do projeto, “Blow Away”, foi lançado no Dia dos Namorados e chegou à 16º posição no Hot 100.

“Dark Horse” – (1975)

Apenas alguns anos após a dissolução do quarteto de Liverpool, Harrison deixou de ser “o Beatle tímido” para se transformar no“Dark Horse”, música que dá nome ao álbum lançado em 1974. Fruto do fim do casamento com a atriz Pattie Boyd, o disco foi notável por servir de prelúdio à única turnê solo que o guitarrista fez pela América do Norte. A canção chegou ao 15º lugar na parada da Billboard.

“What Is Life” – (1971)

No hit, escrito por Billy Preston, o ex-Beatle continua a desenrolar sobre a vida sem o amor. A faixa faz parte do disco triplo All Things Must Pass, o primeiro após a separação dos Fab Four.  O álbum é considerado um dos melhores da carreira solo do guitarrista, que conta ainda com o sucesso “My Sweet Lord”, que dominou as paradas por semanas. Já a canção, além de conquistar o décimo lugar no Hot 100, conta com a participação sempre especial de Eric Clapton.

“All Those Years Ago” – (1981)

Em 1981 o mundo ainda vivia o choque e a tristeza pelo assassinato brutal de John Lennon, um ano antes. A música não só levou o guitarrista de volta às paradas, conquistando a segunda posição no Hot 100, como reuniu Paul McCartney e Ringo Starr para a sua gravação, uma das várias homenagens prestadas a Lennon.

“For You Blue” – (1971)

Um dos muitos hits de Let It Be, álbum lançado pelos Beatles em 1970, a faixa fez história ao emplacar dois lados de um mesmo single no topo da parada.  A composição de Harrison servia como lado-B de “The Long And Winding Road”, clássico assinado por Paul McCartney.

“Give Me Love (Give Me Peace On Earth)” – (1973)

Em 1973, os antigos integrantes dos Beatles começavam a se firmar em suas carreiras solo enquanto Paul McCartney seguia com seu novo grupo, o Wings. Naquele verão, Harrison conseguiu bater um dos grandes sucessos da banda capitaneada por McCartney- a balada “My Love”- e conquistou o primeiro topo do álbum Live In The Material World (1973), com “Give Me Love (Give Me Peace On Earth)”.

“Something” – (1969)

Enquanto Lennon e McCartney dividiam a autoria da maioria dos sucessos dos Beatles, George despontou por conta própria com a romântica “Something”. Seus companheiros de banda chegaram a dizer que a música é, ao lado de “While My Guitar Gently Weeps”, um dos melhores momentos musicais da carreira do guitarrista. E os fãs concordaram: “Something” - originalmente escrita durante as sessões do Álbum Branco, mas lançada em Abbey Road-  foi o único topo que Harrison conquistou enquanto estava nos Beatles, além de ter catapultado a faixa “Come Together”, com a qual dividia um dos lados do single.

“Got My Mind Set On You”- (1988)

Com o sucesso dos álbuns All Things Must Pass, Living In The Material World e Dark Horse, Harrison tinha, finalmente, uma carreira solo estabelecida após a febre dos Beatles. Porém, foi “Got My Mind Set On You” que garantiu seu segundo maior sucesso nos Estados Unidos e se responsabilizou por seu retorno triunfal nos anos 80. Além disso, a faixa alavancou a performance do álbum Cloud Nine e serviu como catalisadora da formação do Traveling Wilburys, espécie de supergrupo formado por Jeff Lynne, Roy Orbison, Bob Dylan, Tom Petty e George Harrison.

“My Sweet Lord / Isn't It A Pity”- (1970)

Apesar de um polêmico processo acusando Harrison de plágio, “My Sweet Lord” foi a música do guitarrista que ficou por mais tempo no topo das paradas americanas: quatro semanas. A faixa, originalmente escrita para o amigo Billy Preston, foi lançada nos Estados Unidos como carro-chefe do lendário álbum triplo All Things Must Pass.