NOTÍCIAS

Especial: três anos sem Amy Winehouse

por em 23/07/2014
Por Maurício Amendola   Na tarde do dia 23 de julho de 2011, em Londres, na Inglaterra, o mundo da música perdia uma estrela em ascensão. Amy Winehouse morreu, aos 27 anos, em função de uma intoxicação alcoólica – a chamada overdose. Excêntrica, polêmica e talentosa, Amy expressava uma atmosfera revivalista que cativou uma legião de fãs no mundo todo, mesmo com apenas dois álbuns lançados: Frank, de 2003, e Back To Black, o bem-sucedido disco de 2006, que chegou ao 2º lugar no Billboard 200 e rendeu os sucessos “You Know I’m No Good”, “Tears Dry On Their Own” e o hit que apresentou Amy ao mundo, “Rehab”. Em 2011, foi divulgado o álbum póstumo Lioness: Hidden Treasures, com algumas canções inéditas da cantora. A morte de Amy repercutiu de maneira impressionante pelo mundo. Além de Back To Black retornar ao Top 10 do ranking de álbuns mais vendidos da Billboard na semana de sua morte – o disco alcançou o 9º lugar cinco anos depois de seu lançamento -, a cantora entrou para o famigerado “Clube dos 27”, o grupo de artistas célebres que perderam a vida com esta mesma idade: Brian Jones, um dos fundadores dos Rolling Stones; Jimi Hendrix; Janis Joplin; Jim Morrison e Kurt Cobain. Para celebrar a carreira breve e intensa de Amy Winehouse, separamos três canções que expõem a relevância desta cantora, que se tornou um ícone da cultura pop dos anos 2000, seja pelos penteados, loucuras desimpedidas ou pelo que ela sempre fez de melhor: a música.   “Stronger Than Me” - Parte do repertório do disco de estreia de Amy, Frank, de 2003, esse R&B com refinados toques jazzísticos foi o primeiro single da carreira da cantora. Apesar de não ter sido um sucesso na época do lançamento – a faixa chegou apenas ao 71º lugar da parada britânica de singles -, “Stronger Than Me” caiu nas graças dos fãs após a explosão de Amy Winehouse pelo mundo. O beat da faixa traz um sample da música “Smookin Cheeba-Cheeba”, do grupo Harlem Underground Band. http://www.youtube.com/watch?v=7CYE0DYIbaw “Tears Dry On Their Own” - A canção foi o quarto single divulgado do disco Back To Black e chegou ao 16º lugar do ranking britânico. Com um sample do clássico “Ain’t No Mountain High Enough”, parceria entre Marvin Gaye e Tammi Terrell, o clipe da música teve a direção de David LaChapelle, que já trabalhou com nomes como Elton John, Mariah Carey, Moby, Robin Williams e Florence And The Machine. Relembre! “Rehab” – Esta verdadeira assinatura musical de Amy a apresentou ao mundo. Com ares autobiográficos, “Rehab” rendeu três prêmios Grammy à cantora, em 2008: Gravação do Ano, Música do Ano e Melhor Performance Vocal Pop Feminina. A canção chegou ao Top 10 dos rankings de singles em mais de dez países, incluindo o Hot 100 da Billboard americana. Daqui a algum tempo, se lhe perguntarem “quem foi Amy Winehouse”, certamente este irreverente e swingado R&B é a melhor opção como cartão de visitas. Relembre!  
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
2
Regime Fechado
Simone & Simaria
3
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
4
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Especial: três anos sem Amy Winehouse

por em 23/07/2014
Por Maurício Amendola   Na tarde do dia 23 de julho de 2011, em Londres, na Inglaterra, o mundo da música perdia uma estrela em ascensão. Amy Winehouse morreu, aos 27 anos, em função de uma intoxicação alcoólica – a chamada overdose. Excêntrica, polêmica e talentosa, Amy expressava uma atmosfera revivalista que cativou uma legião de fãs no mundo todo, mesmo com apenas dois álbuns lançados: Frank, de 2003, e Back To Black, o bem-sucedido disco de 2006, que chegou ao 2º lugar no Billboard 200 e rendeu os sucessos “You Know I’m No Good”, “Tears Dry On Their Own” e o hit que apresentou Amy ao mundo, “Rehab”. Em 2011, foi divulgado o álbum póstumo Lioness: Hidden Treasures, com algumas canções inéditas da cantora. A morte de Amy repercutiu de maneira impressionante pelo mundo. Além de Back To Black retornar ao Top 10 do ranking de álbuns mais vendidos da Billboard na semana de sua morte – o disco alcançou o 9º lugar cinco anos depois de seu lançamento -, a cantora entrou para o famigerado “Clube dos 27”, o grupo de artistas célebres que perderam a vida com esta mesma idade: Brian Jones, um dos fundadores dos Rolling Stones; Jimi Hendrix; Janis Joplin; Jim Morrison e Kurt Cobain. Para celebrar a carreira breve e intensa de Amy Winehouse, separamos três canções que expõem a relevância desta cantora, que se tornou um ícone da cultura pop dos anos 2000, seja pelos penteados, loucuras desimpedidas ou pelo que ela sempre fez de melhor: a música.   “Stronger Than Me” - Parte do repertório do disco de estreia de Amy, Frank, de 2003, esse R&B com refinados toques jazzísticos foi o primeiro single da carreira da cantora. Apesar de não ter sido um sucesso na época do lançamento – a faixa chegou apenas ao 71º lugar da parada britânica de singles -, “Stronger Than Me” caiu nas graças dos fãs após a explosão de Amy Winehouse pelo mundo. O beat da faixa traz um sample da música “Smookin Cheeba-Cheeba”, do grupo Harlem Underground Band. http://www.youtube.com/watch?v=7CYE0DYIbaw “Tears Dry On Their Own” - A canção foi o quarto single divulgado do disco Back To Black e chegou ao 16º lugar do ranking britânico. Com um sample do clássico “Ain’t No Mountain High Enough”, parceria entre Marvin Gaye e Tammi Terrell, o clipe da música teve a direção de David LaChapelle, que já trabalhou com nomes como Elton John, Mariah Carey, Moby, Robin Williams e Florence And The Machine. Relembre! “Rehab” – Esta verdadeira assinatura musical de Amy a apresentou ao mundo. Com ares autobiográficos, “Rehab” rendeu três prêmios Grammy à cantora, em 2008: Gravação do Ano, Música do Ano e Melhor Performance Vocal Pop Feminina. A canção chegou ao Top 10 dos rankings de singles em mais de dez países, incluindo o Hot 100 da Billboard americana. Daqui a algum tempo, se lhe perguntarem “quem foi Amy Winehouse”, certamente este irreverente e swingado R&B é a melhor opção como cartão de visitas. Relembre!