NOTÍCIAS

Holograma de Chief Keef em festival de hip hop é cancelado pela polícia

por em 26/07/2015

A imagem reluzente do rapper Chief Keef que estava sendo projetada no palco em Hammond, no estado de Indiana, foi desligada pela polícia da cidade apenas minutos depois do início da apresentação, no sábado (25/07).

O holograma surpresa – que havia sido cancelado – foi a atração principal no festival de hip hop Craze Fest.

O cancelamento foi confirmado após a insistência do prefeito da cidade em afirmar que o rapper “promove a violência”. O empresário de Keef diz que tanto o rapper quanto toda a equipe foram surpreendidos pela negativa, já que o concerto tinha o intuito de fazer uma boa ação na comunidade: preservar a memória do bebê Dillan Harris, atropelado e morto em Chicago por motoristas que fugiram da cena do crime.

A apresentação secreta de Keef no festival foi revelada no Instagram, em um post rapidamente excluído, e por um tuíte sugestivo. Quando a possibilidade da aparição de Keef foi anunciada, três homens – um dos quais afirmou ser um representante do gabinete do prefeito – foram até o pavilhão e disseram que o prefeito da cidade, Thomas McDermott, estava em Nova York e que havia recebido inúmeras perguntas sobre a possibilidade de Keef se apresentar. Na hora, os organizadores disseram que não tinham intenção alguma de ter uma performance do rapper.

Houve desentendimento entre os organizadores sobre se o holograma deveria ter espaço para uma apresentação. Mas o DJ Hoop Dreams defendeu a decisão depois do show.

"Nós achamos que era importante porque Keef é o favorito da nossa geração no momento e nós arriscamos porque sabemos que, no final das contas, nós fazemos isso para unir a juventude. A primeira coisa que Keef disse foi que estamos abaixando as armas e parando a violência", disse.

Quando o holograma começou a ser exibido, por volta das 22h15, a imagem do rapper disse: "Se você tem objetivos, atinja-os. Se tem sonhos, acredite neles. Pare a violência, pare com os assassinatos, pare com a falta de sentido. Deixem as crianças crescerem", antes de cantar o hit "I Don't Like", de 2012.

O som foi cortado repentinamente e, em seguida, a imagem também. No backstage, a polícia estava cuidando do equipamento.

Alguns minutos após o evento ser encerrado, Alki David divulgou um comunicado à imprensa. "O prefeito e a polícia de Hammond deveriam ter vergonha por silenciar uma voz que pode gerar uma mudança positiva na comunidade, que desesperadamente precisa de uma. E por levar o dinheiro que poderia ter ajudado a família da vítima. Este era um evento legal e não havia justificativa para seu encerramento além do desrespeito à primeira emenda (da constituição americana) da liberdade de expressão."

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
2
Regime Fechado
Simone & Simaria
3
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
4
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Holograma de Chief Keef em festival de hip hop é cancelado pela polícia

por em 26/07/2015

A imagem reluzente do rapper Chief Keef que estava sendo projetada no palco em Hammond, no estado de Indiana, foi desligada pela polícia da cidade apenas minutos depois do início da apresentação, no sábado (25/07).

O holograma surpresa – que havia sido cancelado – foi a atração principal no festival de hip hop Craze Fest.

O cancelamento foi confirmado após a insistência do prefeito da cidade em afirmar que o rapper “promove a violência”. O empresário de Keef diz que tanto o rapper quanto toda a equipe foram surpreendidos pela negativa, já que o concerto tinha o intuito de fazer uma boa ação na comunidade: preservar a memória do bebê Dillan Harris, atropelado e morto em Chicago por motoristas que fugiram da cena do crime.

A apresentação secreta de Keef no festival foi revelada no Instagram, em um post rapidamente excluído, e por um tuíte sugestivo. Quando a possibilidade da aparição de Keef foi anunciada, três homens – um dos quais afirmou ser um representante do gabinete do prefeito – foram até o pavilhão e disseram que o prefeito da cidade, Thomas McDermott, estava em Nova York e que havia recebido inúmeras perguntas sobre a possibilidade de Keef se apresentar. Na hora, os organizadores disseram que não tinham intenção alguma de ter uma performance do rapper.

Houve desentendimento entre os organizadores sobre se o holograma deveria ter espaço para uma apresentação. Mas o DJ Hoop Dreams defendeu a decisão depois do show.

"Nós achamos que era importante porque Keef é o favorito da nossa geração no momento e nós arriscamos porque sabemos que, no final das contas, nós fazemos isso para unir a juventude. A primeira coisa que Keef disse foi que estamos abaixando as armas e parando a violência", disse.

Quando o holograma começou a ser exibido, por volta das 22h15, a imagem do rapper disse: "Se você tem objetivos, atinja-os. Se tem sonhos, acredite neles. Pare a violência, pare com os assassinatos, pare com a falta de sentido. Deixem as crianças crescerem", antes de cantar o hit "I Don't Like", de 2012.

O som foi cortado repentinamente e, em seguida, a imagem também. No backstage, a polícia estava cuidando do equipamento.

Alguns minutos após o evento ser encerrado, Alki David divulgou um comunicado à imprensa. "O prefeito e a polícia de Hammond deveriam ter vergonha por silenciar uma voz que pode gerar uma mudança positiva na comunidade, que desesperadamente precisa de uma. E por levar o dinheiro que poderia ter ajudado a família da vítima. Este era um evento legal e não havia justificativa para seu encerramento além do desrespeito à primeira emenda (da constituição americana) da liberdade de expressão."