NOTÍCIAS

Justiça condena Sony e Furacão 2000 por conteúdo de músicas

por em 16/10/2015
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, condenou a produtora Furacão 2000 e a gravadora Sony Music a pagarem uma indenização no valor de R$ 500 mil por veicular as músicas “Tapinha”, do Bonde do Tigrão, e “Tapa Na Cara”, do grupo Pagodart, grandes sucessos no começo da década de 2000. De acordo com a decisão, os hits incentivam a violência contra a mulher. O desembargador federal Luiz Alberto d’Azevedo Aurvalle chegou a citar a Lei Maria da Penha para justificar seu voto. “Até mesmo uma lei especial e investimentos de conscientização foram e são necessários porque persiste enraizada na sociedade brasileira inconcebível violência contra a mulher”, afirmou o desembargador federal Luiz Alberto d’Azevedo Aurvalle, segundo o portal do jornal O Globo. A decisão, no entanto, não foi unânime. Com três votos contra e três a favor, o júri decidiu no voto de desempate. Quando lançadas, as duas músicas sofreram processos pelo Ministério Público Federal e pela ONG Themis, mas em 2008 só a Furacão 2000 foi condenada. A produtora de funk conseguiu recurso cinco anos depois. No YouTube, um único vídeo com o funk do Bonde Do Tigrão possui mais de um milhão de visualizações. Já o axé “Tapa Na Cara” tem pouco mais de 150 mil views.
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
2
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
3
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
4
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Justiça condena Sony e Furacão 2000 por conteúdo de músicas

por em 16/10/2015
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, condenou a produtora Furacão 2000 e a gravadora Sony Music a pagarem uma indenização no valor de R$ 500 mil por veicular as músicas “Tapinha”, do Bonde do Tigrão, e “Tapa Na Cara”, do grupo Pagodart, grandes sucessos no começo da década de 2000. De acordo com a decisão, os hits incentivam a violência contra a mulher. O desembargador federal Luiz Alberto d’Azevedo Aurvalle chegou a citar a Lei Maria da Penha para justificar seu voto. “Até mesmo uma lei especial e investimentos de conscientização foram e são necessários porque persiste enraizada na sociedade brasileira inconcebível violência contra a mulher”, afirmou o desembargador federal Luiz Alberto d’Azevedo Aurvalle, segundo o portal do jornal O Globo. A decisão, no entanto, não foi unânime. Com três votos contra e três a favor, o júri decidiu no voto de desempate. Quando lançadas, as duas músicas sofreram processos pelo Ministério Público Federal e pela ONG Themis, mas em 2008 só a Furacão 2000 foi condenada. A produtora de funk conseguiu recurso cinco anos depois. No YouTube, um único vídeo com o funk do Bonde Do Tigrão possui mais de um milhão de visualizações. Já o axé “Tapa Na Cara” tem pouco mais de 150 mil views.