NOTÍCIAS

Muse não consegue contornar problema de saúde e decepciona os mais exigentes

por em 07/04/2014
Por Lígia Otero A atração principal do primeiro dia do festival iniciou o show às 21h30. Logo no início, o público sentiu falta da voz de Matthew Bellamy. Alguns culparam o "microfone baixo", outros, a garganta inflamada do vocalista, que teria causado o cancelamento do show de quinta-feira no Grand Metrópole. Apesar disso, a banda levantou o público com um show repleto de hits, como "Uprising", "Hysteria" e "Time Is Running Out". Na execução de “Starlight”, que sempre contagia os expectadores, Matt foi para a grade e se deixou abraçar pelos fanáticos que choravam e puxavam os cabelos do músico. Quem estava mais próximo do palco participava de uma "ola" a cada riff conhecido. Algumas mudanças no repertório: a banda optou por canções que poupavam os vocais e davam ênfase ao instrumental. Comentários sobre a falta de "Feeling Good" – clássico interpretado por Nina Simone –, numa versão onde Matt senta ao piano e solta a voz, foram frequentes. A canção é presença constante no repertório do trio. Em compensação, o baixista Chris Wolstenholme recebeu um espaço maior e se arriscou algumas vezes nos vocais. A surpresa do dia ficou por conta da lembrança dos 20 anos da morte de Kurt Cobain, do Nirvana. A data passou batida por todas as outras bandas do festival e, quando todos já haviam desistido de ouvir alguma canção dele, o grupo puxou a famosa introdução de "Lithium". O vocalista não parecia dominar muito a letra, mas a audiência não se prendeu a esse detalhe e aprovou a homenagem. Aqueles que esperavam um espetáculo semelhante ao do último Rock in Rio, ficaram com um certo gosto amargo. O grupo se despediu tocando "Knights Of Cydonia", com direito a pedido de desculpa e promessa de retorno ao país no próximo ano.  
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
2
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
3
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
4
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Muse não consegue contornar problema de saúde e decepciona os mais exigentes

por em 07/04/2014
Por Lígia Otero A atração principal do primeiro dia do festival iniciou o show às 21h30. Logo no início, o público sentiu falta da voz de Matthew Bellamy. Alguns culparam o "microfone baixo", outros, a garganta inflamada do vocalista, que teria causado o cancelamento do show de quinta-feira no Grand Metrópole. Apesar disso, a banda levantou o público com um show repleto de hits, como "Uprising", "Hysteria" e "Time Is Running Out". Na execução de “Starlight”, que sempre contagia os expectadores, Matt foi para a grade e se deixou abraçar pelos fanáticos que choravam e puxavam os cabelos do músico. Quem estava mais próximo do palco participava de uma "ola" a cada riff conhecido. Algumas mudanças no repertório: a banda optou por canções que poupavam os vocais e davam ênfase ao instrumental. Comentários sobre a falta de "Feeling Good" – clássico interpretado por Nina Simone –, numa versão onde Matt senta ao piano e solta a voz, foram frequentes. A canção é presença constante no repertório do trio. Em compensação, o baixista Chris Wolstenholme recebeu um espaço maior e se arriscou algumas vezes nos vocais. A surpresa do dia ficou por conta da lembrança dos 20 anos da morte de Kurt Cobain, do Nirvana. A data passou batida por todas as outras bandas do festival e, quando todos já haviam desistido de ouvir alguma canção dele, o grupo puxou a famosa introdução de "Lithium". O vocalista não parecia dominar muito a letra, mas a audiência não se prendeu a esse detalhe e aprovou a homenagem. Aqueles que esperavam um espetáculo semelhante ao do último Rock in Rio, ficaram com um certo gosto amargo. O grupo se despediu tocando "Knights Of Cydonia", com direito a pedido de desculpa e promessa de retorno ao país no próximo ano.