NOTÍCIAS

Músicas para não tocar no seu casamento

Alguns sons parecem românticos – mas só parecem

por Redação em 16/08/2016

A música, definitivamente, é parte essencial de qualquer festa de casamento. É ela que anima os convidados, tornando aquele momento inesquecível não só para os noivos, mas também para familiares e amigos. Mas, às vezes, aquela faixa que achamos que combina com a ocasião é a maior furada! A seguinte playlist reúne alguns exemplos de músicas para não tocar no seu casamento:

Joy Division, “Love Will Tear Us Apart”: A letra dessa música não combina absolutamente nada com um momento tão especial, de celebração do amor, como um casamento. É exatamente o oposto! É melhor usá-la em uma festa de divórcio, ok? “Emoções não crescerão/Estamos mudando nossos caminhos/Pegando estradas diferentes”.

 

Foreigner, “I Want To Know What Love Is”: Se, em plena festa de casamento, depois de um bom tempo juntos, você ainda não sabe o que é o amor.... alguma coisa está errada!

 

Céline Dion, “My Heart Will Go On”: Melhor evitar clichês também. Essa aqui já foi tocada até dizer chega! Sem mencionar o fato de que ela foi trilha de Titanic, que apesar de contar uma linda história de amor, não tem um final muito feliz, né?

 

John Mayer, “Daughters”: John Mayer também se tornou o clichê do cara fofo que escreve músicas românticas. Nessa faixa em especial, ele canta sobre a importância dos pais em nossas vidas e como o jeito que somos tratados pode influenciar como agimos quando adultos de uma forma um tanto incisiva.  Evite.

 

Robin Thicke, “Blurred Lines”: Essa música pode até ser divertida e colocar todo mundo para dançar, mas a letra é muito problemática. A misoginia é forte demais para qualquer ocasião, imagine um casamento!

 

The Police, “Every Breath You Take”: A melô do stalker não é romântico como você pode achar. À primeira vista, parece uma música sobre um cara que se preocupa e pensa muito na amada, mas ele não passa de um stalker obcecado. “Cada suspiro que você der/Cada movimento que fizer/Cada laço que quebrar/Cada passo que der/Estarei te observando”. AFF.

 

Vanessa da Mata, “Boa Sorte”: A música pode até ser bonita e tocou bastante, mas já reparou que a letra não combina muito com um casamento porque trata de um fim de relacionamento?

Marisa Monte, “Bem Que Se Quis”: Essa grande música interpretada por Marisa Monte também não combina com uma festa de casamento por não ser das mais positivas sobre relacionamentos, né? “Bem que se quis/Depois de tudo ainda ser feliz/Mas já não há caminhos pra voltar/E o que é que a gente fez da nossa vida?”. Deprê.

 

Jim Diamond, “I Should Have Known Better”: Depois de fazer muita besteira, o rapaz percebe que perdeu a garota que amava. Essa história é velha, né? E é disso que a música trata. Ele admite ter desvalorizado a moça, mentido e a traído, mas pede desculpas e diz estar sofrendo. Nada a ver com a primeira dança de um casal recém-casado.

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
2
Regime Fechado
Simone & Simaria
3
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
4
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Músicas para não tocar no seu casamento

Alguns sons parecem românticos – mas só parecem

por Redação em 16/08/2016

A música, definitivamente, é parte essencial de qualquer festa de casamento. É ela que anima os convidados, tornando aquele momento inesquecível não só para os noivos, mas também para familiares e amigos. Mas, às vezes, aquela faixa que achamos que combina com a ocasião é a maior furada! A seguinte playlist reúne alguns exemplos de músicas para não tocar no seu casamento:

Joy Division, “Love Will Tear Us Apart”: A letra dessa música não combina absolutamente nada com um momento tão especial, de celebração do amor, como um casamento. É exatamente o oposto! É melhor usá-la em uma festa de divórcio, ok? “Emoções não crescerão/Estamos mudando nossos caminhos/Pegando estradas diferentes”.

 

Foreigner, “I Want To Know What Love Is”: Se, em plena festa de casamento, depois de um bom tempo juntos, você ainda não sabe o que é o amor.... alguma coisa está errada!

 

Céline Dion, “My Heart Will Go On”: Melhor evitar clichês também. Essa aqui já foi tocada até dizer chega! Sem mencionar o fato de que ela foi trilha de Titanic, que apesar de contar uma linda história de amor, não tem um final muito feliz, né?

 

John Mayer, “Daughters”: John Mayer também se tornou o clichê do cara fofo que escreve músicas românticas. Nessa faixa em especial, ele canta sobre a importância dos pais em nossas vidas e como o jeito que somos tratados pode influenciar como agimos quando adultos de uma forma um tanto incisiva.  Evite.

 

Robin Thicke, “Blurred Lines”: Essa música pode até ser divertida e colocar todo mundo para dançar, mas a letra é muito problemática. A misoginia é forte demais para qualquer ocasião, imagine um casamento!

 

The Police, “Every Breath You Take”: A melô do stalker não é romântico como você pode achar. À primeira vista, parece uma música sobre um cara que se preocupa e pensa muito na amada, mas ele não passa de um stalker obcecado. “Cada suspiro que você der/Cada movimento que fizer/Cada laço que quebrar/Cada passo que der/Estarei te observando”. AFF.

 

Vanessa da Mata, “Boa Sorte”: A música pode até ser bonita e tocou bastante, mas já reparou que a letra não combina muito com um casamento porque trata de um fim de relacionamento?

Marisa Monte, “Bem Que Se Quis”: Essa grande música interpretada por Marisa Monte também não combina com uma festa de casamento por não ser das mais positivas sobre relacionamentos, né? “Bem que se quis/Depois de tudo ainda ser feliz/Mas já não há caminhos pra voltar/E o que é que a gente fez da nossa vida?”. Deprê.

 

Jim Diamond, “I Should Have Known Better”: Depois de fazer muita besteira, o rapaz percebe que perdeu a garota que amava. Essa história é velha, né? E é disso que a música trata. Ele admite ter desvalorizado a moça, mentido e a traído, mas pede desculpas e diz estar sofrendo. Nada a ver com a primeira dança de um casal recém-casado.