NOTÍCIAS

O que a trilha de 13 Reasons Why, da Netflix, nos conta sobre a série

Seriado, que estreou na última sexta-feira na Netflix, tem a produção executiva de Selena Gomez

por Rebecca Silva em 04/04/2017

Aguardada há anos, a adaptação do livro 13 Reasons Why, de Jay Asher, para as telas finalmente estreou na última sexta-feira (31/03), na Netflix. Com a produção executiva da cantora e atriz Selena Gomez, a série conta em 13 capítulos a história de Hannah Baker (Katherine Langford), jovem que se suicidou e gravou em 13 fitas cassete os motivos que a levaram a tirar a sua própria vida.

A série nos prende pelo suspense de saber, pouco a pouco, o que cada um dos personagens pode ter feito para Hannah, deixando-a depressiva e sem esperanças. Diferentemente de outros seriados (e filmes) de suspense, 13 Reasons Why não nos traz nenhuma reviravolta. Já sabemos sobre a morte de Hannah desde o início do primeiro episódio e é justamente isso que nos deixa ansiosos e nervosos a cada capítulo assistido.

Apesar da série se passar em um período atual, Hannah decide gravar fitas cassete, já obsoletas. Essa ideia vem do personagem Tony (Christian Navarro), que traz um visual mais vintage, com o cabelo cheio de gel, dirigindo um Mustang vermelho, dono de um walkman e um gravador de fitas, emprestado para Hannah. É ele quem recebe as gravações pela primeira vez e é responsável pela missão de garantir que cada um dos 13 motivos ouça a verdade de Hannah.

É no carro dele que temos o primeiro momento musical significativo – e explícito – da série. Ele pergunta a Clay (Dylan Minnette), o protagonista, se eles podem ouvir música. A fita escolhida é da banda Joy Division; a música, o clássico “Love Will Tear Us Apart”. O vocalista do grupo, Ian Curtis, também se suicidou – no caso dele, enforcado.

13reasonswhy

As outras referências musicais são menos mastigadas. A trilha oficial da série, inclusive, disponível no Spotify, não traz todas as faixas tocadas nos episódios, normalmente ao final de cada um deles, quase sempre focando na parte instrumental. Entre os artistas escolhidos para a trilha estão Vance Joy, The Japanese House, The Moth & The Flame, Woodkid, Sir Sly, Lord Huron, com faixas como “Mess Is Mine”, “Cool Blue”, “Young & Unafraid”, “Run Boy Run”, “High” e “The Night We Met”, respectivamente. Elas traduzem, em melodia e letra, os sentimentos não só de Hannah, mas também de cada um dos personagens que descobrem o seu envolvimento na decisão dela de se suicidar.

Já a trilha que toca durante as cenas é composta, principalmente, de bandas indie e alternativas, não tão conhecidas do grande público. Tão desconhecidas quanto os sentimentos suprimidos e escondidos de Hannah.

Quando Hannah decide que vai se matar, no episódio 12, ouvimos a faixa “The Killing Moon”, versão da banda Roman Remains para a música de Echo & The Bunnymen, com uma atmosfera envolvente, mas ao mesmo tempo, tensa. “O destino indo contra a sua vontade”, canta a vocalista, em um momento em que a personagem está completamente perdida e devastada pelo que aconteceu em sua vida. Quando Hannah e Clay, apaixonados um pelo outro, mas inseguros demais para se declararem, dançam juntos no baile da escola no episódio cinco, a trilha é “The Night We Met”, de Lord Huron, faixa que fala justamente sobre estar perdido e confuso sobre o amor. “Tenho buscado uma trilha para seguir de novo/Me leve de volta para a noite em que nos conhecemos/E então poderei dizer para mim/O que diabos eu devo fazer”.

No quarto dos personagens Clay e Alex (Miles Heizer) vemos pôsteres de bandas que podem nos indicar o que eles gostam de ouvir. Clay curte Arcade Fire, The Shins, The Cure, Bon Iver, enquanto Alex também escuta Joy Division. Aqui, não vemos pôsteres de rapper ou grandes nomes do pop, apesar de Selena Gomez fazer parte da trilha sonora com “Only You”, regravação da dupla Yazoo e uma versão acústica de “Kill ‘Em With Kindness”, parte do disco mais recente da cantora, Revival.

Mais do que uma história de suicídio causado por bullying, 13 Reasons Why nos toca justamente por nos deixar pensando, a cada episódio, o que já fizemos ou deixamos de fazer por alguém e o quanto nossas ações podem interferir na vida das pessoas que conhecemos.

Ouça as músicas que tocam na série:

  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
2
Regime Fechado
Simone & Simaria
3
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
4
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

O que a trilha de 13 Reasons Why, da Netflix, nos conta sobre a série

Seriado, que estreou na última sexta-feira na Netflix, tem a produção executiva de Selena Gomez

por Rebecca Silva em 04/04/2017

Aguardada há anos, a adaptação do livro 13 Reasons Why, de Jay Asher, para as telas finalmente estreou na última sexta-feira (31/03), na Netflix. Com a produção executiva da cantora e atriz Selena Gomez, a série conta em 13 capítulos a história de Hannah Baker (Katherine Langford), jovem que se suicidou e gravou em 13 fitas cassete os motivos que a levaram a tirar a sua própria vida.

A série nos prende pelo suspense de saber, pouco a pouco, o que cada um dos personagens pode ter feito para Hannah, deixando-a depressiva e sem esperanças. Diferentemente de outros seriados (e filmes) de suspense, 13 Reasons Why não nos traz nenhuma reviravolta. Já sabemos sobre a morte de Hannah desde o início do primeiro episódio e é justamente isso que nos deixa ansiosos e nervosos a cada capítulo assistido.

Apesar da série se passar em um período atual, Hannah decide gravar fitas cassete, já obsoletas. Essa ideia vem do personagem Tony (Christian Navarro), que traz um visual mais vintage, com o cabelo cheio de gel, dirigindo um Mustang vermelho, dono de um walkman e um gravador de fitas, emprestado para Hannah. É ele quem recebe as gravações pela primeira vez e é responsável pela missão de garantir que cada um dos 13 motivos ouça a verdade de Hannah.

É no carro dele que temos o primeiro momento musical significativo – e explícito – da série. Ele pergunta a Clay (Dylan Minnette), o protagonista, se eles podem ouvir música. A fita escolhida é da banda Joy Division; a música, o clássico “Love Will Tear Us Apart”. O vocalista do grupo, Ian Curtis, também se suicidou – no caso dele, enforcado.

13reasonswhy

As outras referências musicais são menos mastigadas. A trilha oficial da série, inclusive, disponível no Spotify, não traz todas as faixas tocadas nos episódios, normalmente ao final de cada um deles, quase sempre focando na parte instrumental. Entre os artistas escolhidos para a trilha estão Vance Joy, The Japanese House, The Moth & The Flame, Woodkid, Sir Sly, Lord Huron, com faixas como “Mess Is Mine”, “Cool Blue”, “Young & Unafraid”, “Run Boy Run”, “High” e “The Night We Met”, respectivamente. Elas traduzem, em melodia e letra, os sentimentos não só de Hannah, mas também de cada um dos personagens que descobrem o seu envolvimento na decisão dela de se suicidar.

Já a trilha que toca durante as cenas é composta, principalmente, de bandas indie e alternativas, não tão conhecidas do grande público. Tão desconhecidas quanto os sentimentos suprimidos e escondidos de Hannah.

Quando Hannah decide que vai se matar, no episódio 12, ouvimos a faixa “The Killing Moon”, versão da banda Roman Remains para a música de Echo & The Bunnymen, com uma atmosfera envolvente, mas ao mesmo tempo, tensa. “O destino indo contra a sua vontade”, canta a vocalista, em um momento em que a personagem está completamente perdida e devastada pelo que aconteceu em sua vida. Quando Hannah e Clay, apaixonados um pelo outro, mas inseguros demais para se declararem, dançam juntos no baile da escola no episódio cinco, a trilha é “The Night We Met”, de Lord Huron, faixa que fala justamente sobre estar perdido e confuso sobre o amor. “Tenho buscado uma trilha para seguir de novo/Me leve de volta para a noite em que nos conhecemos/E então poderei dizer para mim/O que diabos eu devo fazer”.

No quarto dos personagens Clay e Alex (Miles Heizer) vemos pôsteres de bandas que podem nos indicar o que eles gostam de ouvir. Clay curte Arcade Fire, The Shins, The Cure, Bon Iver, enquanto Alex também escuta Joy Division. Aqui, não vemos pôsteres de rapper ou grandes nomes do pop, apesar de Selena Gomez fazer parte da trilha sonora com “Only You”, regravação da dupla Yazoo e uma versão acústica de “Kill ‘Em With Kindness”, parte do disco mais recente da cantora, Revival.

Mais do que uma história de suicídio causado por bullying, 13 Reasons Why nos toca justamente por nos deixar pensando, a cada episódio, o que já fizemos ou deixamos de fazer por alguém e o quanto nossas ações podem interferir na vida das pessoas que conhecemos.

Ouça as músicas que tocam na série: