NOTÍCIAS

Os 5 rappers mais ricos do mundo em 2017, segundo a Forbes

Diddy e Jay Z brigam pelo posto de bilionários

por Redação em 11/05/2017

A única coisa que pode ser mais previsível do que as mudanças de nome de Diddy é a sua colocação na lista anual dos rappers mais ricos. O artista – formalmente conhecido como Sean Combs – no entanto, tem agora alguns concorrentes de peso.

CONHEÇA MILES COOLEY, O ADVOGADO QUE JÁ RECUPEROU US$ 30 MILHÕES PARA JAY Z

Um dos principais destaques do novo ranking é Jay Z. A fortuna do marido de Beyoncé aumentou 30% no último ano, depois que um investimento de US$ 200 milhões da Sprint fez com que o valor de mercado da plataforma de streaming de música do rapper, o Tidal, saltasse para US$ 600 milhões, mais de dez vezes o que ele pagou pela companhia dois anos atrás.

A pergunta agora é: qual dos dois artistas chegará primeiro ao posto de bilionário? A resposta não é fácil. Diddy tem um contrato lucrativo com a Cîroc, a vodca da Diageo, enquanto Jay Z expande seus negócios com a marca de champanhe Armand de Brignac e o crescimento da empresa de entretenimento Roc Nation. O rapper aparece à frente de Dr. Dre pela primeira vez desde 2014, quando o super produtor vendeu sua marca de fones de ouvido Beats para a Apple por US$ 3 bilhões.

TUDO QUE SABEMOS SOBRE O NOVO ÁLBUM DE JAY Z

Para elaborar a lista, Forbes usou os mesmos critérios de cálculo das fortunas dos integrantes do seu ranking de bilionários: levantamento dos ganhos mais recentes, avaliação da participação no mercado, checagem de documentos financeiros e informações de analistas, advogados e outros representantes da indústria.

Veja na galeria de fotos os 5 rappers mais ricos do mundo:

5. Drake, US$ 90 milhões

O álbum Views, lançado no ano passado, tornou-se o primeiro a alcançar 1 bilhão de reproduções na Apple Music e ajudou a promover uma enorme turnê, que levou o canadense de Atlanta à Amsterdã e gerou uma receita de US$ 1 milhão por noite durante o percurso. Seus acordos com a Apple, Nike e Sprite deve fazer com que ele continue ganhando muito dinheiro mesmo quando não está se apresentando. Com apenas 30 anos de idade, Drake poderia ser filho de qualquer um dos demais integrantes da lista.

Divulgação

4. Birdman, US$ 110 milhões

Junto com seu irmão, Ronald “Slim” Williams, Birdman é dono da Cash Money Records, casa de três das maiores estrelas da música: Drake, Nicki Minaj e Lil Wayne. Houve rumores, nos últimos anos, de que os três poderiam sair da gravadora, mas, até agora, seus contratos não sofreram alterações e os cofres da Cash Money permanecem cheios.

Divulgação

3. Dr. Dre, US$ 740 milhões

A Apple comprou a empresa de eletrônicos Beats, que pertencia a Dr. Dre, por US$ 3 bilhões em 2014, e o acordo deu ao rapper o maior faturamento em um único ano de um músico vivo já registrado. Alguns dias após o anúncio da negociação, ele comprou uma mansão de 1.300 m² em Los Angeles por US$ 40 milhões. De acordo com o governo, a propriedade já valorizou 20% desde então.

Divulgação

2. Jay Z, US$ 810 milhões

O investimento de US$ 200 milhões da marca Sprint em janeiro deste ano no aplicativo de streaming de música Tidal fez com que a plataforma passasse a valer US$ 600 milhões – mais de dez vezes o valor pago pelo rapper há dois anos. O aumento da sua fortuna o ajudou a superar Dr. Dre e a quase empatar com Diddy. Além disso, o crescimento contínuo de sua companhia de entretenimento Roc Nation e da sua marca de champanhe Armand de Brignac podem colocá-lo mais cedo do que imaginamos no topo da lista.

Divulgação

1. Diddy, US$ 820 milhões

Depois de se autodenominar Puff Diddy, P. Diddy e, enfim, Diddy, Sean Combs pode ter um novo apelido em breve: bilionário. Ele está quase alcançando a marca, graças, principalmente, aos lucrativos acordos com a marca de vodca Cîroc, da Diageo, às ações no canal de TV Revolt, à marca de água alcalina Aquahydrate e à tequila DeLeon.

Divulgação
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Bengala E Crochê
Maiara & Maraisa
2
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
3
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
4
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
5
Regime Fechado
Simone & Simaria
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Os 5 rappers mais ricos do mundo em 2017, segundo a Forbes

Diddy e Jay Z brigam pelo posto de bilionários

por Redação em 11/05/2017

A única coisa que pode ser mais previsível do que as mudanças de nome de Diddy é a sua colocação na lista anual dos rappers mais ricos. O artista – formalmente conhecido como Sean Combs – no entanto, tem agora alguns concorrentes de peso.

CONHEÇA MILES COOLEY, O ADVOGADO QUE JÁ RECUPEROU US$ 30 MILHÕES PARA JAY Z

Um dos principais destaques do novo ranking é Jay Z. A fortuna do marido de Beyoncé aumentou 30% no último ano, depois que um investimento de US$ 200 milhões da Sprint fez com que o valor de mercado da plataforma de streaming de música do rapper, o Tidal, saltasse para US$ 600 milhões, mais de dez vezes o que ele pagou pela companhia dois anos atrás.

A pergunta agora é: qual dos dois artistas chegará primeiro ao posto de bilionário? A resposta não é fácil. Diddy tem um contrato lucrativo com a Cîroc, a vodca da Diageo, enquanto Jay Z expande seus negócios com a marca de champanhe Armand de Brignac e o crescimento da empresa de entretenimento Roc Nation. O rapper aparece à frente de Dr. Dre pela primeira vez desde 2014, quando o super produtor vendeu sua marca de fones de ouvido Beats para a Apple por US$ 3 bilhões.

TUDO QUE SABEMOS SOBRE O NOVO ÁLBUM DE JAY Z

Para elaborar a lista, Forbes usou os mesmos critérios de cálculo das fortunas dos integrantes do seu ranking de bilionários: levantamento dos ganhos mais recentes, avaliação da participação no mercado, checagem de documentos financeiros e informações de analistas, advogados e outros representantes da indústria.

Veja na galeria de fotos os 5 rappers mais ricos do mundo:

5. Drake, US$ 90 milhões

O álbum Views, lançado no ano passado, tornou-se o primeiro a alcançar 1 bilhão de reproduções na Apple Music e ajudou a promover uma enorme turnê, que levou o canadense de Atlanta à Amsterdã e gerou uma receita de US$ 1 milhão por noite durante o percurso. Seus acordos com a Apple, Nike e Sprite deve fazer com que ele continue ganhando muito dinheiro mesmo quando não está se apresentando. Com apenas 30 anos de idade, Drake poderia ser filho de qualquer um dos demais integrantes da lista.

Divulgação

4. Birdman, US$ 110 milhões

Junto com seu irmão, Ronald “Slim” Williams, Birdman é dono da Cash Money Records, casa de três das maiores estrelas da música: Drake, Nicki Minaj e Lil Wayne. Houve rumores, nos últimos anos, de que os três poderiam sair da gravadora, mas, até agora, seus contratos não sofreram alterações e os cofres da Cash Money permanecem cheios.

Divulgação

3. Dr. Dre, US$ 740 milhões

A Apple comprou a empresa de eletrônicos Beats, que pertencia a Dr. Dre, por US$ 3 bilhões em 2014, e o acordo deu ao rapper o maior faturamento em um único ano de um músico vivo já registrado. Alguns dias após o anúncio da negociação, ele comprou uma mansão de 1.300 m² em Los Angeles por US$ 40 milhões. De acordo com o governo, a propriedade já valorizou 20% desde então.

Divulgação

2. Jay Z, US$ 810 milhões

O investimento de US$ 200 milhões da marca Sprint em janeiro deste ano no aplicativo de streaming de música Tidal fez com que a plataforma passasse a valer US$ 600 milhões – mais de dez vezes o valor pago pelo rapper há dois anos. O aumento da sua fortuna o ajudou a superar Dr. Dre e a quase empatar com Diddy. Além disso, o crescimento contínuo de sua companhia de entretenimento Roc Nation e da sua marca de champanhe Armand de Brignac podem colocá-lo mais cedo do que imaginamos no topo da lista.

Divulgação

1. Diddy, US$ 820 milhões

Depois de se autodenominar Puff Diddy, P. Diddy e, enfim, Diddy, Sean Combs pode ter um novo apelido em breve: bilionário. Ele está quase alcançando a marca, graças, principalmente, aos lucrativos acordos com a marca de vodca Cîroc, da Diageo, às ações no canal de TV Revolt, à marca de água alcalina Aquahydrate e à tequila DeLeon.

Divulgação