NOTÍCIAS

Soundgarden faz o grande show da terceira edição do Lollapalooza

por em 07/04/2014
Vinte anos sem Kurt Cobain? Que tal uma pauta diferente dentro do universo grunge? No encerramento do palco Longix, o Soundgarden celebrou as duas décadas de seu álbum de maior sucesso, Superunknown. Com um Chris Cornell longe da melhor forma, mas tampouco claudicante, como na época do Audioslave, o quarteto de Seattle relembrou vários sucessos do disco, ante uma plateia heterogênea. Perderam a oportunidade de convidar um percussionista brasileiro para o solo de colher de “Spoonman” (suprimido), mas mostraram carinho com o país que nunca havia recebido um show do conjunto. Um indício foi a inclusão de “Jesus Christ Pose” no repertório. Cornell certamente evita entoar o single em todos os shows pelo tanto que ele exige de seu já surrado gogó. O cantor e gatão da meia idade praticamente pediu licença para mostrar “Been Away For Too Long”, faixa do disco da volta da formação. Mal sabia ele que a dita cuja rola constantemente na programação da 89 FM. Resultado: foi muito bem recebida. Se havia alguém desejando ouvir algo da época em que o grunge ainda não havia estourado, esse nerd saiu feliz com a metálica “Beyond The Wheel”, escolhida para encerrar a apresentação. Cornell afirmou nem se lembrar de como escreveu seus versos, no final dos anos 80. Mas não se embananou com a letra, diferentemente do que ocorreu durante “Outshined”. Por incrível que pareça, ele entrou errado na segunda estrofe da música que tornou o Soundgarden conhecido mundialmente. Mas como reclamar disso num show com uma versão matadora de “Rusty Cage”? A roda de pogo aberta no meio da massa cristalizou o grande momento da noite, presenciado por boa parte dos 60 mil presentes no maldito autódromo. Agora, só resta sujeira sob o asfalto. Pudera. Latas de lixo, melanina e bom senso em quem trouxe o Lolla para Interlagos foram as ausências mais sentidas no festival. Até o ano que vem! Em outro lugar, por favor.  
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Aquela Pessoa
Henrique & Juliano
2
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
3
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
4
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Soundgarden faz o grande show da terceira edição do Lollapalooza

por em 07/04/2014
Vinte anos sem Kurt Cobain? Que tal uma pauta diferente dentro do universo grunge? No encerramento do palco Longix, o Soundgarden celebrou as duas décadas de seu álbum de maior sucesso, Superunknown. Com um Chris Cornell longe da melhor forma, mas tampouco claudicante, como na época do Audioslave, o quarteto de Seattle relembrou vários sucessos do disco, ante uma plateia heterogênea. Perderam a oportunidade de convidar um percussionista brasileiro para o solo de colher de “Spoonman” (suprimido), mas mostraram carinho com o país que nunca havia recebido um show do conjunto. Um indício foi a inclusão de “Jesus Christ Pose” no repertório. Cornell certamente evita entoar o single em todos os shows pelo tanto que ele exige de seu já surrado gogó. O cantor e gatão da meia idade praticamente pediu licença para mostrar “Been Away For Too Long”, faixa do disco da volta da formação. Mal sabia ele que a dita cuja rola constantemente na programação da 89 FM. Resultado: foi muito bem recebida. Se havia alguém desejando ouvir algo da época em que o grunge ainda não havia estourado, esse nerd saiu feliz com a metálica “Beyond The Wheel”, escolhida para encerrar a apresentação. Cornell afirmou nem se lembrar de como escreveu seus versos, no final dos anos 80. Mas não se embananou com a letra, diferentemente do que ocorreu durante “Outshined”. Por incrível que pareça, ele entrou errado na segunda estrofe da música que tornou o Soundgarden conhecido mundialmente. Mas como reclamar disso num show com uma versão matadora de “Rusty Cage”? A roda de pogo aberta no meio da massa cristalizou o grande momento da noite, presenciado por boa parte dos 60 mil presentes no maldito autódromo. Agora, só resta sujeira sob o asfalto. Pudera. Latas de lixo, melanina e bom senso em quem trouxe o Lolla para Interlagos foram as ausências mais sentidas no festival. Até o ano que vem! Em outro lugar, por favor.