NOTÍCIAS

Veja como foi o bate papo com o Planta & Raiz no Viber

por em 09/07/2015
O grupo de reggae Planta & Raiz foi o convidado da Billboard Brasil para um bate-papo através do aplicativo Viber nessa semana.A banda falou sobre o novo trabalho recém-lançado, Segue Em Frente, próximo clipe, novo DVD, experiência em tocar no Japão e, claro, muita música.   Agora a banda está com estúdio próprio e produzindo os próprios discos... Por que essa decisão? Facilita o processo? Facilita o processo pois temos a condição de impor um ritmo de trabalho próprio. E algum motivo especial por terem escolhido esse formato de EP? O motivo foi criar um ritmo de trabalho mais dinâmico pensando no segundo semestre de 2015 e também o fato de estar planejando um novo DVD para 2016. Já tem detalhes? O plano é gravar o DVD ainda em 2015 e estamos procurando uma locação adequada. Toda semana tem festa bombada de reggae aqui em São Paulo. Como vai o gênero nas outras regiões do país? Onde bomba mais? (tirando Maranhão, por motivos óbvios) Salve São Luís! Vemos uma cena muito forte e com diversas vertentes do reggae sendo feita. O reggae pega nos 4 cantos do Brasil. Temos Brasília, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rio... Vocês destacam algum nome da nova geração? Uma banda nova daqui da nossa quebrada é o SOMA, tem o Cidade Verde também trazendo uma nova proposta. O reggae já se misturou com vários outros ritmos... nos anos 90/2000 teve a febre do forró com reggae. Tem com rap também. Como são essas misturas para vocês, que fazem um som mais próximo do reggae clássico? A fusão e evolução da música de novos tempos! A música em transição com estilos de países do mundo inteiro! Nosso reggae tem bastante mistura dos estilos musicais! Como exemplo o blues, o rock! Que artistas fora do reggae vocês citam como influências? O guitarrista Jimi Hendrix, Gilberto Gil, Carlos Santana. Tem o Skrillex, Jorge Ben Jor entre outros, música boa! Falando nisso, uma faixa do EP tem participação do Champignon, do Charlie Brown, inclusive soltando a voz. Quando e como aconteceu a gravação? Participação póstuma foi uma grande bênção para nós! O Champs tinha gravado as vozes, violões e baixo. Usamos praticamente tudo na gravação pois gravamos em cima do beat que estava e foi como se ele estivesse conosco nas sessões de gravação. Foi uma Vibe sobrenatural! “Free World” será nosso próximo single nas rádios de todo o Brasil e vem com vídeo clip. Já tem data pro clipe? Antes do final de 2015 nós lançaremos! E a regravação de “Telefone”, do Jorge Ben Jor, que rolou no disco anterior, como foi essa escolha? Além de gostar muito da música dele, fizemos nossa singela homenagem a este grande mestre. Vocês tocaram no Japão em 2012. Já tinham ido antes? Como foi a receptividade lá? A primeira vez em 2012 nós tocamos na festa do dia do Brasil em Nagoia e também fizemos apresentações em outras cidades. Foi muito bom mostrar o nosso som para os brasileiros residentes no Japão e para o próprio povo japonês que curtiram bastante. E deu pra fazer um turismo básico ou foi correria? Foi demais, nesta segunda vez que fomos lá em agosto de 2014 conhecemos uns picos muito loucos com cachoeiras e também fizemos um rolê numa pista de Dritf Car com os caras mais feras do Japão. O Japão nos ensinou muito em todos os aspectos, principalmente na cidadania, o respeito pelo próximo e pela natureza, pela cidade etc etc. Nós até pensamos em gravar um DVD lá. Vocês acham que o reggae é muito reduzido a Bob Marley em alguns momentos? Quais outros caras fundamentais, para vocês? Talvez a galera pense mais em Bob Marley porque foi ele quem popularizou o reggae pelo mundo. E temos também influências de outros artistas como Steel pulse, Israel Vibration, Edson Gomes, Tribo de Jah, Natiruts que são bandas que a gente tocava muito no início de carreira e até hoje as músicas deles. E, hoje em dia, vários artistas novos influenciam também, como, por exemplo, Ponto de Equilíbrio, Mato Seco, Maneva, Magic!, entre outros
  • HOT 100
    BRASIL
  • BILLBOARD
    200
  • HOT 100
    EUA
1
Ar-Condicionado No 15
Wesley Safadão
Áudio indisponível
2
Regime Fechado
Simone & Simaria
3
Avisa Que Eu Cheguei (Part. Ivete Sangalo)
Naiara Azevedo
4
Na Conta Da Loucura
Bruno & Marrone
5
Amigo Taxista
Zé Neto & Cristiano
RANKING COMPLETO
NOTÍCIAS

Veja como foi o bate papo com o Planta & Raiz no Viber

por em 09/07/2015
O grupo de reggae Planta & Raiz foi o convidado da Billboard Brasil para um bate-papo através do aplicativo Viber nessa semana.A banda falou sobre o novo trabalho recém-lançado, Segue Em Frente, próximo clipe, novo DVD, experiência em tocar no Japão e, claro, muita música.   Agora a banda está com estúdio próprio e produzindo os próprios discos... Por que essa decisão? Facilita o processo? Facilita o processo pois temos a condição de impor um ritmo de trabalho próprio. E algum motivo especial por terem escolhido esse formato de EP? O motivo foi criar um ritmo de trabalho mais dinâmico pensando no segundo semestre de 2015 e também o fato de estar planejando um novo DVD para 2016. Já tem detalhes? O plano é gravar o DVD ainda em 2015 e estamos procurando uma locação adequada. Toda semana tem festa bombada de reggae aqui em São Paulo. Como vai o gênero nas outras regiões do país? Onde bomba mais? (tirando Maranhão, por motivos óbvios) Salve São Luís! Vemos uma cena muito forte e com diversas vertentes do reggae sendo feita. O reggae pega nos 4 cantos do Brasil. Temos Brasília, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rio... Vocês destacam algum nome da nova geração? Uma banda nova daqui da nossa quebrada é o SOMA, tem o Cidade Verde também trazendo uma nova proposta. O reggae já se misturou com vários outros ritmos... nos anos 90/2000 teve a febre do forró com reggae. Tem com rap também. Como são essas misturas para vocês, que fazem um som mais próximo do reggae clássico? A fusão e evolução da música de novos tempos! A música em transição com estilos de países do mundo inteiro! Nosso reggae tem bastante mistura dos estilos musicais! Como exemplo o blues, o rock! Que artistas fora do reggae vocês citam como influências? O guitarrista Jimi Hendrix, Gilberto Gil, Carlos Santana. Tem o Skrillex, Jorge Ben Jor entre outros, música boa! Falando nisso, uma faixa do EP tem participação do Champignon, do Charlie Brown, inclusive soltando a voz. Quando e como aconteceu a gravação? Participação póstuma foi uma grande bênção para nós! O Champs tinha gravado as vozes, violões e baixo. Usamos praticamente tudo na gravação pois gravamos em cima do beat que estava e foi como se ele estivesse conosco nas sessões de gravação. Foi uma Vibe sobrenatural! “Free World” será nosso próximo single nas rádios de todo o Brasil e vem com vídeo clip. Já tem data pro clipe? Antes do final de 2015 nós lançaremos! E a regravação de “Telefone”, do Jorge Ben Jor, que rolou no disco anterior, como foi essa escolha? Além de gostar muito da música dele, fizemos nossa singela homenagem a este grande mestre. Vocês tocaram no Japão em 2012. Já tinham ido antes? Como foi a receptividade lá? A primeira vez em 2012 nós tocamos na festa do dia do Brasil em Nagoia e também fizemos apresentações em outras cidades. Foi muito bom mostrar o nosso som para os brasileiros residentes no Japão e para o próprio povo japonês que curtiram bastante. E deu pra fazer um turismo básico ou foi correria? Foi demais, nesta segunda vez que fomos lá em agosto de 2014 conhecemos uns picos muito loucos com cachoeiras e também fizemos um rolê numa pista de Dritf Car com os caras mais feras do Japão. O Japão nos ensinou muito em todos os aspectos, principalmente na cidadania, o respeito pelo próximo e pela natureza, pela cidade etc etc. Nós até pensamos em gravar um DVD lá. Vocês acham que o reggae é muito reduzido a Bob Marley em alguns momentos? Quais outros caras fundamentais, para vocês? Talvez a galera pense mais em Bob Marley porque foi ele quem popularizou o reggae pelo mundo. E temos também influências de outros artistas como Steel pulse, Israel Vibration, Edson Gomes, Tribo de Jah, Natiruts que são bandas que a gente tocava muito no início de carreira e até hoje as músicas deles. E, hoje em dia, vários artistas novos influenciam também, como, por exemplo, Ponto de Equilíbrio, Mato Seco, Maneva, Magic!, entre outros